Pesquisar este blog

Carregando...

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Hoje vou contar uma história de um ex-namorado meu m a r a v i l h o s o ...

Bem sou morena, cabelos lisos abaixo do ombro corpo tipo popozuda do funk, perna grossa, bundão, peitos salientes e muito fogo entre as pernas, ele moreno claro meio careca, tipo cara de mal, mas que tem um sorriso maravilhoso você não sabe se ele mais bonito quando ri ou quando está sério, um corpo bem definido, mas não do tipo malhadão de academia, tem braços fortes, as pernas melhores ainda e uma bunda que meu pai eterno ... uhuhuhuhu continuando ele tem um pau não muito grande o normal para maioria, mas muito grosso chega preenche tudo, toma toda a buceta e se ela for pequena coitada vai doer... srsrsrsrs Certa noite ele chegou lá em casa por volta das 19h, fui abrir o portão para ele e ele me olhou de cima abaixo como se visse em sua frente a mulher mais linda e perfeita do mundo, eu estava de vestido um pouco acima do joelho, estilo batinha mas com um decote que da para fazer a imaginação do cara viajar, ele tava bermuda jeans, uma camisa de malha branca e boné, quando terminou de me comer com os olhos me abraçou apertado e me beijou estilo desentupidor de pia parecia que chupar minha língua até não poder mais, suas mãos passavam em minhas costas pra cima e pra baixo, comecei a sentir seu algo dentre as minhas pernas e ele me apertava cada vez mais, até que não me agüentei e abri um pouco as pernas então ele me soltou um pouco e começou a beijar meu pescoço me mordendo de vez em quando e passando a língua no meu ouvido (isso é fatal) e descendo até entre os meus seios até que eu me afastei e disse que minha mãe estava em casa e qualquer momento ela podia aparecer, então ele pegou na minha mão me puxou para perto dele e disse que me queria naquela noite e não ia embora enquanto não me comesse, fiquei meio atordoada com o que ele disse porque acho meio vulgar essas palavras, mas elas faladas ao pé de ouvido me excitam ao ponto de ficar toda molhada, sorri pra ele sem dizer nada ele então que podia fazer cumprir sua promessa, então entramos dentro de casa minha mãe estava na sala de som assistindo o jornal, ele falou com ela e fomos para outra sala sentamos no sofá fiquei com as pernas dobradas ele meio que se deitou no sofá bem relaxadamente e logo colocou uma almofada sobre suas coxas, fiquei numa posição que dava para me afastar rapidamente caso minha mãe quisesse passar por ali, e privilegiada para ele pois meus seios estavam bem próximos do seu rosto e ele tinha uma visão privilegiada, então como minha mãe estava perto de nós ficamos conversando um pouco sobre nosso dia, algumas coisas engraçadas que tinha acontecido e de vez em quando ele passava a mão na minha perna querendo subir o vestido e beijando mordiscando meu pescoço, eu ia deixando e quando ele ia chegando perto da minha bucetinha eu afastava a mão dele, aquilo nos excitava tanto por causa do perigo de minha mãe ver ele me devorando com os olhos enquanto conversávamos, ela podia se levantar a qualquer momento e nos ver em algum momento desses de loucura, passado algum tempo então ela desligou a TV e disse que ia dormir pois se acordava muito cedo para trabalhar, meu namorado levantou se despediu dela com um beijo na testa e voltou a pra perto de mim, então ela foi para o quarto e fechou a porta de chave não sei se ela ouviu alguma coisa, mas parecia saber o que ia acontecer com sua filhinha... comecei a sentir um pouco de medo e tesão ao mesmo tempo, eu não era mais virgem mas essa seria a nossa primeira vez, então ele chegou perto de mim e pediu pra irmos na cozinha pois tava com sede, me levantei ele me abraçou por trás e logo pude sentir seu pau grosso no meio da minha bunda, eu estava sem calcinha naquela noite e não tenho costume de usar sutiã só usava aquele vestido de malha justamente porque queria provocá-lo mas eu podia esperar que eu ficaria tão excitada assim, quando senti seu pau se esfregando na minha bunda comecei a ficar mais molhada, ele beijou meu pescoço colocando sua língua de vez em quando dentro do meu ouvido e dizendo o quanto eu era gostosa e que queria me fuder que não agüentava mais aquela loucura, começou a alisar meus seios e eu comecei passando a mão no seu pau que estava duro parecia de concreto isso caminhando para cozinha, quando chegamos lá me afastei dele de propósito pois queria ver todo aquele homem me desejando e que naquela noite nada mais ia importar a não ser nossa primeira foda, ele veio atrás de mim me pegou pelo braço e perguntou para onde eu pensava que ia, eu com um sorriso meio de muleca disse que ia pegar o copo pra dar água pra ele, ele não se agüentou e me puxou pra bem perto e começou a se enroscar em mim, passando aquele pau na testa da minha bucetinha e beijar loucamente meios seios, então afastei mais uma vez e disse que fosse devagar que o mundo não ia se acabar e aquela não seria nossa ultima foda quando terminei de falar ele respirou fundo disse tudo bem, então me peque o copo com água, se sentou na cadeira cozinha e quando cheguei perto com água ele tava ainda cheio de tesão com a mão em cima da bermuda alisando seu pau enquanto me olhava então me sentei em cima dele com as pernas abertas e comecei a rebolar bem devagarzinho em cima do pau, ele perguntou se eu queria enlouquecê-lo, então com um sorriso bem sínico e uma lambidinha respondi que sim, começamos a nos beijar e enroscar nossas línguas ele levantou meu vestido e começou a passar o dedo por cima do meu cuzinho que ainda era virgem, a única coisa virgem em mim, então disse a ele que meu cuzinho não era parte dos planos eu não daria pra ninguém, ele com sorriso maldoso disse que tudo bem só estava alisando e vendo como ele era fechadinho e comecei a rebolar mas e mais então ele abriu a bermuda e colocou seu pau pra fora, então pedi pra ele chupar minha bucetinha ele rapidamente passou a mão nela e disse você já esta toda molhada pronta pra ser fudida o que mais quer então respondi que queria gozar na boca dele, então ele se deitou no chão da cozinha eu coloquei minha bucetinha na boca dele e comecei a chupar seu pau que estava quente e parecia que ia explodir na posição 69, ele com seu dedinho malicioso alisando meu cuzinho e de vez em quando forçava querendo abrir mas eu rapidamente parava de chupar seu pau e pedia pra ele não fazer aquilo, então ele me respondia que não ia fazer mais, mas de em quando ele fazia e rapidamente tirava antes que eu parasse de chupá-lo, como seu pau era gostoso eu segurava em suas bolas colocava numa mão e com a outra fazia uma punheta enquanto chupava as suas bolas, ele ia a loucura não sabia o que fazia então ficamos nessa quando ele disse que ia gozar eu me levantei sentei em cima do pau dele e comecei a rebolar ele beijava mordiscava chupava meu pescoço descia até meus seios subia a minha boca, até que não agüentamos e gozamos então ele disse quer que eu goze fora da sua bucetinha? eu disse não quero sua porra toda dentro de mim, quando ele pensava que ia relaxar me levantei e fiquei de quatro pra ele e disse que era pra colocar a seu pau dentro da minha bucetinha, ele prontamente fez isso e começamos logo a nos mexer aquele pau grosso tomava minha bucetinha quase que me arrobava tudo, eu podia sentir naquele vai e vem suas bolas encostando na minha bunda eu me arrepiava de tanto prazer e ele não se continha e começou a me mastubar com uma das mãos entre minha pernas começou a mexer na minha xaninha, eu queria poder chupar alguma coisa naquele momento então peguei a outra mão e comecei a chupar seu dedo como se fosse seu pau, ele disse que não ia agüentar e perguntou de podia gozar no meu cu eu disse que não era pra colocar dentro, só ficasse na entrada eu achava que ele tinha entendido e começou a alisar meu cu como fazia antes com o dedo só que agora com seu pau e ficava só porta mas teve uma hora que ele não agüentou mais e penetrou de vez, quando eu ia gritar de dor ele pôs sua mão na minha boca, sua mão que cheirava a minha buceta e disse que se eu gritasse ele ia enfiar mais ainda e ia doer mais, me perguntou se eu ainda ia gritar eu fiz sinal com a cabeça que não e ele começou com aquele vai e vem eu não sabia mais o que estava sentindo se era o medo de minha mãe aparecer na cozinha e vê aquela cena toda, se era a dor do meu cuzinho sendo violentado, ou o prazer de ter um pau dentro de mim de certa forma eu estava gostando de tudo aquilo, já estava meio anestesiada de tanta dor pedi que me xingasse de cachorra, vadia e por ai, ele se empolgou e começou a me xingar e querer me arranhar as costas, então fui mais além e pedi que ele me batesse acho que ele pensava que eu já não estava fora do meu estado normal, pra nossa primeira vez até que estava bem avançado, mas não hesitou e começou a bater de vez em quando na minha bunda e me xingar ah como eu gostava daquilo, ele disse que ia gozar eu prontamente empinei mais ainda a bunda e ele colocou todo o seu pau dentro do meu cuzinho que naquele momento estava todo anestesiado de tanta dor, mas não parei e nem pedi pra ele parar naquele momento nem se o presidente da republica aparecesse eu iria parar, até que gozou como louco e deixou toda a sua porra dentro de mim, então ele se afastou lambeu meu cuzinho e minha bucetinha e disse que ia se encontrar de novo, então levantou e se vestiu eu ainda meio tonta por tudo que tinha passado me sentei na cadeira e disse que ele não devia ter feito aquilo ele se ajoelhou e disse que isso iria terminar acontecendo e que iria doer do mesmo jeito, então disse a ele que ainda sentia um pouco dolorido ele pediu pra que eu ficasse de quatro novamente, eu com medo disse que não que ia demorar um pouco pra ficar naquela posição de novo, ele disse pra eu ter medo que não ia me machucar só ia dar uma olhadinha pra vê se tinha me machucado ou se está sangrando, então eu fiz o que ele me pediu e fiquei de quatro novamente, então chegou pertinho e começou a lamber meu cuzinho aquele homem parecia insaciável mas aquilo foi me acalmando e ele percebendo que estava relaxando continuou a lamber só que dessa vez enquanto dava umas chupadinhas ele passava aquela língua quente na minha bucetinha e subia pra o cuzinho e continuou até que eu não agüentei mais e gozei, gozei tudo na cara dele, então ele disse lembra que você tinha dito que ia gozar na minha cara? desde desse dia que eu não paro mas de meu cuzinho hoje ainda dói um pouquinho assim que coloca o pau, mas depois...

Histórias aquecidas...

Estava cansada de procurar em sites de relacionamentos, algo que me preenchesse que me fizesse ficar parada por horas lendo ou vendo ou quem sabe até desfrutando de algo mais intenso sexualmente falando, lia sobre contos eróticos e a maioria deles é feitos estritamente para os homens, entrava e saia de sites pornográficos tendo o cuidado para que fosse vírus e alguns vídeos me prendiam a tela, outros eram feitos especialmente feitos para os homens com muitas bundas, bucetas, peitos e cus por todo lado e enquanto mostra umas DEZ bundas femininas, mostrava de UM pau grande grosso, não tenho nada contra as bundas, bucetas, peito e cus afinal eu também tenho, o problema que eu sou atraída por homens, pau, bundas masculinas, pernas grossas, peitoral delineado, uns com cara de mal, outros com cara de anjos, meninos ou adultos não me interessa só me interessa que são homens que gostam de dar prazer as mulheres, também não tem nada contra os homossexuais este blog não foi feito para denegrir a imagem de ninguém, foi feito para um público que eu acho que está meio em desvantagem nesse mundo, as mulheres que querem ver mais que outras mulheres, elas querem ver também as preliminares homens que beijam e beijam muuuuuito bem, homens que nos atiçam que provocam nossos sentidos, que passam a mão naquilo e colocam aquilo na mão discretamente, homens gozando e se deliciando com nosso prazer, ai já estou me esquentando rsrsrsrsrs, então vou contar um pouco de historias vividas que aqueceram meu corpo, outras que ouvi falar e quem sabe até imaginárias, e se você homem ou mulher, hetero ou não também tem uma história para contar fique a vontade esse blog também é seu mande sua história teremos o prazer em desfrutar das suas aventuras, fiquem a vontade...